Não à violência contra a mulher!

Tenho acompanhado calada o drama de Suzana Vieira com seu ex-marido. E a baixaria que foi o término do relacionamento de Luana Piovani. Calada sim, mas extremamente revoltada.
Devo ser sincera, nunca fui fã da Luana Piovani, e do Dado Dolabella menos ainda. Longe de mim questionar o caráter de alguém, principalmente se não conheço a criatura. Como todo e qualquer ser humano, simplesmente tenho um pé atras com algumas pessoas. Nada mais natural.

Já da Suzana Vieira, eu sempre gostei. Já tirei sarro dela aqui, antes de reformular o Silent Devotion, assim como brinquei com outros artistas. Só brincadeira, nada contra, apenas com o intuito de fazer rir quem tem senso de humor.

Sempre gostei da Suzana pelo seu bom humor e jovialidade. Ela tem mais energia do que muita gente novinha por ai, e sem contar que é uma atriz de um talento inigualável e indiscutível. Gosto dela e ponto final.

Mas o que tem a ver o caso da Suzana Vieira e o da Luana Piovani? Ambos envolveu homens de caráter extremamente duvidoso e violentos.  Dado Dolabella ja tem um histórico de violência, como vocês devem lembrar do que o rapaz fez ao vivo diante das câmeras da MTV, anos atras, contra o João Gordo. Fez o papel de mauricinho, filhinho de papai que não sabe dialogar e resolve tudo na força. Na época quem saiu de bandido na historia foi o João Gordo, mas se vocês pararem para analisar o vídeo a violência toda partiu do garoto.

Mas o mundo da voltas e eis que ele resolve bater na noiva e na camareira. A roupa suja foi lavada em publico, o que é obvio já que os dois são figuras publicas e inevitavelmente a coisa toda acaba sendo exposta. Luana teve a coragem de negar que ele lhe tenha batido, o que foi desmentido em seguida com o vídeo da segurança da tal boate. Um vergonha.

Já no caso de Suzana Vieira a coisa foi um pouco diferente. Alguém se lembra quando foi noticiado que o ex-marido dela havia quebrado um quarto de motel, no qual estava com uma prostituta, ou algo assim, que também sofreu agressão?  Fiquei triste quando Suzana Vieira resolveu que era uma boa idéia perdoar, e temi por ela.Continue lendo

Vaidade está em todos os meios

Vaidade, vaidade, vaidade. Egos precisando ser massageados sempre! E’ tudo que vemos por ai, em todos os lados, em todos os meios.

Enquanto isso pessoas morrem nas piores catástrofes que são conseqüências de nossos próprios atos egoístas e vaidosos. Pessoas matam e morrem por motivos cada vez mais tolos. Crianças passam fome, frio, necessidades e sofrem violências. Se for olhar bem de perto, tudo por causa de vaidade.
Necessidade de se sentir importante sempre fez o homem ter ambições. Das mais tolas. E alguém sempre sai prejudicado nessa.

Que tal parar de pensar em besteiras como rankings e pensar em coisas realmente importantes como sustentabilidade? Ou será que é tão difícil assim pensar um pouquinho no próximo, no meio ambiente, mudas os próprios hábitos?

Ah, sei lá gente, sei lá…

Design sustentável: design fazendo a sua parte

Todos já estamos cansados de saber que nosso planeta esta mais do que poluído. Faz muito tempo que apenas exploramos seus recursos, dando em troca apenas lixo e poluição. O resultado disso esta perfeitamente documentado no filme de Al Gore, Uma Verdade Inconveniente, por exemplo. E todos já sentimos na pele as fortíssimas mudanças climáticas que apenas são consequências de nossos atos.

Se fala muito em sustentabilidade nos últimos tempos – digamos que o assunto começou a ser discutido nos últimos 20 anos. Sustentabilidade como uma maneira de evitar que a situação de nosso meio ambiente piore ainda mais. Pois voltar atras, a esse ponto, é impossível.

O que é Sustentabilidade?

Vejamos a definição encontrada no wikipédia:

“Sustentabilidade é um conceito sistêmico, relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana.

Propõe-se a ser um meio de configurar a civilização e atividade humanas, de tal forma que a sociedade, os seus membros e as suas economias possam preencher as suas necessidades e expressar o seu maior potencial no presente, e ao mesmo tempo preservar a biodiversidade e os ecossistemas naturais, planejando e agindo de forma a atingir pró-eficiência na manutenção indefinida desses ideais.

A sustentabilidade abrange vários níveis de organização, desde a vizinhança local até o planeta inteiro.

Para um empreendimento humano ser sustentável, tem de ter em vista 4 requisitos básicos. Esse empreendimento tem de ser:

  • ecologicamente correto;
  • economicamente viável;
  • socialmente justo; e
  • culturalmente aceito.

Sustentabilidade pode ser praticada de inúmeras maneiras. Desde o simples ato de separar seu lixo, evitar pegar sacolas plasticas que lojas e supermercados oferecem, reaproveitar materiais, não desperdiçar água, evitar imprimir coisas inúteis que você poderia armazenar em seu computador, usar os meios públicos, bicicleta ou até mesmo ir a pé quando possível, etc. Pequenos atos e escolhas do dia a dia, que por mais que pensemos que não adiantam de nada, valem muito.

Além disto, grandes empresas podem fazer sua parte, dando, por exemplo, uma finalidade útil às sobras de materiais resultantes de processos industriais; escolher materiais recicláveis para seus produtos; ter um departamento próprio destinado à pesquisas ecológicas e reciclagem; preocupar-se com os gases emitidos na atmosfera durante o processo de fabricação; e assim por diante. São muitas as maneiras de praticá-la. E o design também faz sua parte.

O que é Design Sustentável?

O termo design significa o ato de projetar, desenvolver ou criar, buscando sempre a evolução do que já existe. Aplicando o conceito de sustentabilidade ao design, temos o Design sustentável. Que nada mais é do que projetar respeitando as regras da sustentabilidade, a preocupação com o meio ambiente, o cuidado com a extração da matéria-prima e da energia necessária para sua fabricação. O resultado deste ato serão produtos que devem ser acessíveis economicamente ao maior número de pessoas possível cumprindo sua função fundamental e básica que é trazer o bem-estar e a satisfação a quem os utiliza.

Segundo o texto de Luiz Fernando do Valle, do Blog Raízes, o design sustentável deve apresentar o conceito dos 3R:

“O conceito dos 3R(erres) (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) deve estar presente nos produtos desenvolvidos dentro da visão do design sustentável. Esses produtos, quando na sua fase de concepção, devem ser elaborados já para possíveis reutilizações para sua função principal. Com uma maior durabilidade que evite baixa utilização e uso de materiais que permitam a reciclagem.”

Seguindo estes conceitos, alguns designers criam produtos simples e bacanas reaproveitando materiais que seriam simplesmente jogados fora. Com isso, trago alguns exemplos.

O americano David Shock decidiu dar um fim melhor àquelas que são uma especie de cercas plasticas para isolar áreas em obra e transforma-las em bolsas. Bolsas que alias seriam ótimas para levar para o supermercado e colocar suas compras dentro delas ao invés de utilizar as tradicionais sacolinhas plásticas. (um costume muito praticado na Europa, onde os supermercados oferecem sacolas por 5 a 10 centavos de Euro, assim muitas pessoas preferem levar suas próprias sacolas de pano ou plásticas).

Colocando a criatividade pra funcionar, é possível obter resultados bastante interessantes:

Já o ucraniano Yurko Gutsulyak, criou um calendário reutilizável. Cada dia do ano é um pequeno fosforo destacável e utilizável.

A agencia criativa inglesa “The Partners” criou uma interessante embalagem para mel. Depois de consumido o mel, a embalagem se torna em um vasinho de plantas, e a sua tampa serve como pratinho para colocar abaixo dele.

E que tal esta cadeira puzzle do designer David Grass? De papelão, 100% reciclável, ela é a própria embalagem.

O designer sul-africano Ryan Frank mora  em Londres e lá cria seus produtos de design sustentável,  inspirando-se em sua cultura de origem. Um desses projetos se chama Isabella e é um banquinho inspirado nos tradicionais artigos manufaturados africanos. Ele é feito em palha prensada, revestida de feltro colorido, com o intuito de tornar o banquinho mais confortável. A estrutura é leve e robusta, com materiais ecológicos e podem ser empilhados como um totem.

Estes são apenas alguns exemplos de que produtos de design podem e devem ser ecologicamente corretos, sustentáveis, sem deixar de ser bacana e bonito. Todo mundo pode fazer a sua parte, basta querer.

Quando aprendemos a perdoar

“Errar é humano, perdoar é divino.” Máxima conhecida por todos, utilizada como desculpa por muitos e praticada verdadeiramente por poucos.

O fato é que estamos cada vez mais individualistas, mais do que isto, egoístas. O mal do século. Nos utilizamos da correria do dia-a-dia e a defesa de nossos interesses para atropelarmos a boa educação tao bem ensinada por nossos pais, atropelarmos sentimentos nossos e de nossos semelhantes, para abusar da boa vontade alheia.

Boa vontade esta,  que é um “produto” cada vez mais escasso no “mercado” das emoções e atitudes humanas. E cada vez menos paramos para dizer um “obrigado”, pedir desculpas, ou até mesmo se interessar verdadeiramente pelo que o outro esta sentindo.  Com aquela premissa de que o “oi, tudo bom?” nada mais é do que uma frase pré-concebida, como um “bom dia” dado completamente vazio de sentido.

Convenhamos, quando foi a ultima vez que você teve tempo para se interessar realmente pelo que aquele amigo seu esta passando? E assim a vida continua em seu ritmo frenético e deixamos de lado sentimentos e momentos bacanas que poderíamos ter vivido, se, apenas se, tivéssemos esperado um segundo a mais.

Continue lendo

Design da China

Quem disse que todos os produtos chineses são de má qualidade, muito se engana. Nos últimos tempos o design chines tem ganho reconhecimento internacional (assim como o brasileiro) e eis alguns exemplos disto.

O designer chines Li Jianye, é um desses caras com idéias simples e inovadoras que, ao olharmos suas criações, nos faz pensar “por que não pensaram nisso antes?” (parafraseando Lilian Raquel, quem me deu a dica). Ele se auto define “innovative design thinker and doer” e possui uma super experiencia em design de produtos.

Em seu blog ele mostra algumas de suas criações, que devo dizer que são no mínimo, no mínimo, bacanas.

Nutrition Pyramid Lunch Box

O designer explica sua criação da seguinte forma: “Você provavelmente conhece a piramide profissional, mas nem sempre a segue. Ai esta um ‘template’, a nutrition pyramid lunck box, que o lembra e o guia a ser mais saudável.”

image
Enterbell e Pianobell

Sobre a Enterbell : “Nenhuma descrição para este design, se você é um usuário de computador deve entender do que se trata…”

Sobre a Pianobell: “Esqueça a chata campainha, eis a nova Pianobell para um talentoso e interessante cara como você, pois eu acredito em ‘Eu toco aquilo que sou…’ ” (confesso que esta justificativa eu não entendi)

image image

Flexibin
” Provavelmente a mais elegante e funcional lixeira no mundo. A idéia de faze-la em um recipiente flexível permite que você use qualquer tamanho de sacos de lixo. Simples assim.”

image image

Para ver mais algumas de suas criações, visite o blog: http://labexp.blogspot.com/