Não à violência contra a mulher!

Tenho acompanhado calada o drama de Suzana Vieira com seu ex-marido. E a baixaria que foi o término do relacionamento de Luana Piovani. Calada sim, mas extremamente revoltada.
Devo ser sincera, nunca fui fã da Luana Piovani, e do Dado Dolabella menos ainda. Longe de mim questionar o caráter de alguém, principalmente se não conheço a criatura. Como todo e qualquer ser humano, simplesmente tenho um pé atras com algumas pessoas. Nada mais natural.

Já da Suzana Vieira, eu sempre gostei. Já tirei sarro dela aqui, antes de reformular o Silent Devotion, assim como brinquei com outros artistas. Só brincadeira, nada contra, apenas com o intuito de fazer rir quem tem senso de humor.

Sempre gostei da Suzana pelo seu bom humor e jovialidade. Ela tem mais energia do que muita gente novinha por ai, e sem contar que é uma atriz de um talento inigualável e indiscutível. Gosto dela e ponto final.

Mas o que tem a ver o caso da Suzana Vieira e o da Luana Piovani? Ambos envolveu homens de caráter extremamente duvidoso e violentos.  Dado Dolabella ja tem um histórico de violência, como vocês devem lembrar do que o rapaz fez ao vivo diante das câmeras da MTV, anos atras, contra o João Gordo. Fez o papel de mauricinho, filhinho de papai que não sabe dialogar e resolve tudo na força. Na época quem saiu de bandido na historia foi o João Gordo, mas se vocês pararem para analisar o vídeo a violência toda partiu do garoto.

Mas o mundo da voltas e eis que ele resolve bater na noiva e na camareira. A roupa suja foi lavada em publico, o que é obvio já que os dois são figuras publicas e inevitavelmente a coisa toda acaba sendo exposta. Luana teve a coragem de negar que ele lhe tenha batido, o que foi desmentido em seguida com o vídeo da segurança da tal boate. Um vergonha.

Já no caso de Suzana Vieira a coisa foi um pouco diferente. Alguém se lembra quando foi noticiado que o ex-marido dela havia quebrado um quarto de motel, no qual estava com uma prostituta, ou algo assim, que também sofreu agressão?  Fiquei triste quando Suzana Vieira resolveu que era uma boa idéia perdoar, e temi por ela.

Não demorou muito e o ex-policial resolveu ter uma amante. E dessa vez a vitima da violência foi a moça que além de agredida por ter contato tudo a Suzana, foi também ameaçada. Achei que depois disso o agressor ficaria sozinho e, de preferencia, preso. Mas para a minha enorme surpresa a garota resolve voltar atras e os dois chegam a dar uma entrevista ABSURDA na televisão de que pretendem se casar (!?).

E sabe o que é pior? Tem gente chamando isso de amor.

Tudo isto me entristece muito. Os valores estão completamente invertidos, e já sabemos que não é de hoje. Mas o que me entristece mais ainda é saber que praticamente quase todas as mulheres já sofreram algum tipo de abuso verbal ou físico e se calou, perdoou, e continuou com o agressor.

Continuam com seus agressores por inúmeros motivos. Por medo, por insegurança, por vergonha, e até mesmo por acreditar que a culpa da agressão é delas mesmas. Sim, muitas pensam isso. Pensam assim, pois os seus agressores lhes dão as desculpas mais esfarrapadas para lhes agredir, e conseguem ter a cara de pau de completar dizendo “Viu o que você me fez fazer? Você sabe que a culpa é sua.”
E ela, com suas auto estimas reduzidas a pó, simplesmente acreditam. E é claro que as agressões se repetem e continuam, piorando cada vez mais.

Isto tudo acontece todos os dias, nas casas mais humildes até naquelas mais abastadas. E mulheres continuam em silêncio.

Eu sei o quanto é difícil sair de uma situação doentia dessas. E sei que na maioria das vezes, as vitimas chegam a pensar que não foi nada demais, que foi sem querer e etc… Mas é assim que os crimes mais hediondos acontecem. E é assim também que em nosso intimo vamos perdendo nossa própria essência. Perdemos a alegria de viver, entramos em depressão, perdemos as forças para lutar, morremos aos poucos, deixamos de lado nos mesmas.

Só que para sair desta situação, é preciso primeiro ter coragem. Amar a si mesma. Lembrar-se do quão maravilhosa você é! Ter forças e reagir. Ir embora, se preciso mudar de telefone, procurar ajuda dos amigos e família, procurar proteção, e até mesmo denunciar. Violência deve ser punida!

O agressor nunca deixa uma mulher ir embora. Ele vai atras, numa necessidade doentia de ter por perto alguém para ferir. Chega a dizer que ama para que você volte, mas no fundo no fundo, você sabe que ele não ama nem a si mesmo. Ele se despreza tanto, que precisa de maltratar você só para se sentir superior.

Acredito que isto esteja sendo bem retratado na novela de João Emanuel Carneiro “A Favorita”, com o drama de Catarina e seu violento marido Leonardo. E esse drama já foi retratado em varias outras novelas. Mas como a arte imita a vida, devemos ter consciência de que aquilo acontece todos os dias e não é nada bonito de se assistir, muito menos de se viver.

Não tem uma formula pra evitar esse tipo de coisa. Eu só faço um pedido: Mulheres, não permitam este tipo de coisa, procurem ajuda, por favor.  Busquem apoio em sua família, procurem por proteção. Não acreditem no que ele diz, a culpa NUNCA é sua. Não sinta vergonha! Quem tem que sentir vergonha é ele! Lembre-se sempre que o agressor NUNCA tem razão. Ele a perde no momento em que decide agredir.

Amor e violência não andam juntos! Alias não deveriam nem estar em uma mesma frase. São coisas que se repelem! Quem te amar de verdade vai cuidar de você e nunca vai deixar que nada de ruim te aconteça. Agressão, não!
Salvem-se, por favor, antes que seja tarde demais.

2 Comments

  1. Lamentável isso tudo.
    Lamentável a falta de caráter.
    Que todas as mulheres consigam se amar a ponto de não se submeterem a migalhas.

    beijos querida

    1. @NÚBIA, Pois é, linda, muito lamentável mesmo.
      Fazemos campanhas contra a violência à mulher, existem delegacias da mulher e tudo mais, só que nada disto adianta se a própria mulher não tiver a coragem de procurar ajuda.
      Elas se sentem envergonhadas e responsáveis pelas agressões que sofrem.
      Mas o pior de tudo ainda é ver o mau exemplo na mídia, que, querendo ou não, é no que a maioria das pessoas se espelha.

      Beijos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>