É possivel viver de arte?

velazquez-las-meninas
Las Meninas, 1656 - Diego Velázquez

A historia da humanidade sempre caminhou de bra̤os dados com a arte. Quem teve a oportunidade de estudar Historia da Arte como eu Рfilha de artista plastica, sempre tive acesso, desde muito pequena a livros de arte e minha profisṣo de designer tem como base primordial a arte e sua historia Рsabe o qụo gostoso pode ser uma aula sobre o assunto e ver como tudo que sabemos hoje esta documentado nas mais lindas obras de arte.

O que me impressiona ̩, que mesmo sendo de primordial import̢ncia para a nossa Historia (inclusive a documenta̤̣o do que inda esta por vir), a arte ṇo ̩ Рe acredito que nunca tenha sido Рvalorizada como merece.

A atual novela das 19:00hs, Caras & Bocas, faz uma critica de maneira bastante descontraída a esta dura realidade. A galeria de Arte de Dafne sobrevive das “doações” da empresa de seu avo e dos patrocínios que consegue. Gabriel, sempre quis pintar e não pode dar continuidade a este sonho pois precisa sobreviver e sustentar sua família com o dinheiro que consegue tirar diariamente com seu bar. Denis, primo de Gabriel, é o único que insiste em seu amor pela arte e por isto não consegue sequer pagar as contas e dar de comer a seu filho.

Este ultimo, mesmo dominando muito bem técnicas de pintura e tendo um incrível talento, não tem seu trabalho valorizado e só consegue ter destaque, a partir do momento em que um chimpanzé mexe em suas pinturas, destruindo-as completamente, e só então sendo consideradas obras de arte.

Cresci ouvindo minha mãe dizer que não se vive de amor à arte. E isto é um fato. Vejo muitas pessoas talentosas por ai que nunca tiveram uma oportunidade de mostrar seus trabalhos, ou quando o fizeram nao tiveram o reconhecimento merecido. Infelizmente, só quem consegue algum tipo de patrocínio, conhece alguém importante em algum meio artístico, alguém influente, consegue o reconhecimento de seu talento para posteriormente viver daquilo que ama.

Não somente no meio artístico (leia-se artes plasticas, dramaturgia, literatura e etc.), mas em todos os meios, para se conseguir uma colocação (veja bem, não digo nem mesmo boa colocação, falo de uma colocação qualquer) é necessário indicação. E isto tudo, apesar do visível crescimento de nosso pais na ultima década, e não é culpa da crise dos últimos anos.

A crise provavelmente agrava o problema, mas ṇo ̩ absolutamente a causa. Brasileiros ṣo acostumados a fazer malabarismos para sobreviver e isto ṇo ̩ novidade. Forma̤̣o acad̻mica ṇo garante (e nem nunca garantiu) bons empregos e durabilidade em uma empresa. Com crise, ou sem crise, continuaremos com nosso jeitinho brasileiro para fazer as coisas melhorarem, um pouquinho a cada dia, e talvez por isso ṇo tenhamos tanto medo de crises Рafinal a historia do nosso pais ̩ recheada delas.

O que me magoa, pessoalmente, é que, por melhor formação que a pessoa tenha, por mais talento que tenha, por mais que tenha ralado anos em uma faculdade para saber o que sabe, raramente tem seu valor reconhecido. Pode ser em um trabalho freelancer de um website para um cliente, pode ser dentro de uma empresa.  Todo mundo quer tudo de mão beijada e ninguém quer pagar nada.

Acho bastante valida a critica bem humorada feita pela novela Caras & Bocas. Somos um povo bem humorado, que adora se divertir. Só espero que a critica conscientize a todos da importância da arte e da importância de valorizar o profissional.

Sem a arte não saberíamos nem a metade do que sabemos de nossa Historia, não saberíamos de onde viemos e muito pouco do que somos. Arte não é só para enfeitar a vida e as paredes de nossas casas. Arte é cultura. E cultura é uma das necessidades primordiais dos seres humanos, ao lado de educação e saúde.

Vamos falar de cabelos cacheados?

cachos

Ando querendo muito modernizar meus cabelos cacheados. Eles estão absurdamente longos e sem corte. Depois de 3 sessões de escova progressiva super mega agressiva (isto mesmo, 3 momentos distintos de pura insanidade da minha cabeça), somente com o intuito de alisar a raiz de soltar os cachos, fiz foi ressecar completamente minhas madeixas deixando-as sem o menor brilho.

E ainda tive sorte, pois meus cabelos não caíram depois destas sandices, sandice maior ainda a de minha cabeleireira que fez relaxamento na raiz e imediatamente a tal da progressiva (que ela chamou de escova inteligente, mas no final das contas formol não faltou). Eu corri o risco de ficar careca, isto é fato. E agora quero correr atras do prejuízo.

Ha anos uso os cabelos super longos, mais ou menos na cintura, mas sem um corte apropriado. Procurei por sites e blogs que falassem a respeito, pesquisei em revistas especializadas em cabelos e todas são unanimes: cabelo cacheado pra ser leve, ter movimento, cachos definidos e volume reduzido, precisa ter um corte desfiado ou repicado a partir da altura do queixo. E o comprimento ideal para cabelos longos é a altura dos seios. Até porque cabelos cacheados tendem a ser ressecados naturalmente e dificilmente a oleosidade natural da raiz consegue chegar às pontas (devido à sua estrutura e etc). Cai minha teoria de que cabelo cacheado precisa ser comprido e pesado para não ter volume. Cabelo cacheado pode e deve ter o comprimento que você desejar!

Hidratação é lei. Quinzenal ou uma vez por semana, em casa mesmo ou no salão. Alternativas não faltam no mercado, ou seja, não tem desculpa para não hidratar.

Quanto ao corte, descobri que ele te que ser feito com os cabelos secos, pois assim o profissional pode ver melhor a forma que os cachos estão tomando.

Existe um vídeo bem bacana de agosto do ano passado da revista Marie Claire que mostra o profissional Sergio Gomes cuidando dos cachinhos curtos de uma modelo super gracinha, que vale bastante pena ver e da uma super vontade de assumir os cachos de vez.

Porque se cuidar faz bem

unhas

Acredito verdadeiramente que vaidade não é futilidade. Ter as unhas bem feitas, os cabelos bem cuidados, cuidar da pele com filtros solares e hidratantes todos os dias, fazer uma boa maquiagem, se vestir bem, ter pés bem cuidados, fazem parte de uma rotina de bem estar e até mesmo saúde.

Claro que tudo isto tem um custo, que muitas vezes é considerado futilidade, mas não é. Higiene e cuidados são base primordial para a saúde, pois sem cuidados podemos abrir portas para infecções e doenças nada desejáveis. O problema, justamente são os tais dos custos. Quase ninguém tem dinheiro sobrando para ir até a manicure, para dar aquele tratamento nos cabelos que tanto necessita, para comprar roupas novas.  Mas como brasileiras, graças a Deus, sempre damos aquele famoso jeitinho.

Saber se vestir bem gastando pouco, participando de bazares com as amigas ou até mesmo reciclando aquelas roupas que já não usamos mais, reformando-as ou inovando seu uso, é uma arte que muitas mulheres aprenderam a dominar, em um pais onde estamos acostumadas com dificuldades financeiras.

Uma coisa que assisti no Fantástico tempos atras foi um grupo de amigas que todo final se reúne e faz uma especie de reunião-mutirão da beleza. Onde uma faz o cabelo da outra, depila sobrancelhas, faz aquela maquiagem bacana, e fazem as unhas.  Todas saem felizes e ganhando, ninguém perde nem gasta dinheiro e todas se ajudam.

E ai, você se pergunta: Para que tanta vaidade, gastar tanto tempo com isso? Porque, querendo ou não, faz bem. Da um up na auto-estima, nos deixa feliz. Se sentir bonita e bem cuidada nos faz sentir até mesmo mais seguras em uma sociedade em que a primeira impressão visual é a que fica e (infelizmente) conta demais. Insegurança faz com que nos boicotemos, nos sintamos incapazes, nos sintamos inferiores. Nos impede até mesmo de ter aquela autoconfiança necessária para enfrentar uma entrevista de emprego e sem segurança, raramente somos contratadas.

Talvez estas sejam coisas que para os homens sejam futilidades ou pura besteira. Mas eu afirmo, mexe muito com as mulheres. Nenhuma mulher gosta de se ver em uma foto, por exemplo, descuidada, com olheiras, espinha, descabelada, com ar de cansada, acima do peso, etc. Isto pode acabar com o humor, nos deixar deprê mesmo.

Costumava fazer minhas unhas em casa mesmo, pintando com cores bem clarinhas, discretinhas, basiquinhas, porque sou uma negação como manicure e cores mais fortes são mais difíceis de lidar. La fui eu, depois de seculos, na manicure, pois havia ganho um serviço de manicure e pedicure de um salão carioca no 1° luluzinha camp RJ. Decidi que queria diversificar e pintar de vermelho escuro, quase vinho. Fazia anos que não usava as unhas assim, e confesso que adorei vê-las com cores fortes novamente.

Acontece que como tenho pele muito clara e dedos bem finos, o contraste fica super bacana. Minhas unhas não são longas, pois quebram fácil, por isso sempre as uso curtinhas, e confesso que as prefiro assim. Na minha opinião ficam elegantes e bonitas se não forem muito longas.

Me senti bem, elegante e segura só com esta pequena mudança de cor nas unhas. Me fez super bem so este pequeno cuidado com as unhas, imagine se tivesse feito cabelo e etc. Se cuidar faz bem e pronto. O meu unico problema agora é encontrar um jeito economico de fazer as unhas sem que elas fiquem um completo desastre  quando feitas por mim e meu talento zero para manicure.

Enquanto isso, vou navegando por ai procurando dicas e descobrindo blogs bacanas dedicados somente a isso como o Mão Feita, e blogs de beleza como o Dia de Beauté e o Chata de Galocha.