Dia das mães deveria ser todos os dias

Estava querendo prestar uma homenagem ao dia das mães, mas confesso que estava sem inspiração. Na minha opinião, as mães deveriam ser festejadas todos os dias, pois o trabalho delas para conosco não tem fim. Elas estão presentes em nossas vidas, todos os dias, incentivando, ensinando, nos amando incondicionalmente e sem nunca deixar de se preocupar.

Minha mãe é uma daquelas mulheres super modernas e batalhadoras, que me criou pra ser independente e ter uma carreira. Ela nunca deixou de trabalhar fora, e até mesmo viajar à trabalho, e, mesmo quando eu era apenas uma menina que chorava de saudade e não queria ver a mãe partir, eu sentia orgulho e sempre quis ser como ela quando crescesse.

Não importa se nos desentendemos, se ela me cobra, se rimos juntas, se choramos juntas. Minha mãe é um dos meus alicerces (meu pai era o outro) e em quem sempre me inspirei para ser melhor. Sabe aquela voz na consciência dizendo pra nunca nos contentarmos com pouco? Pois é, a minha é minha mãe. Posso até me irritar com isso às vezes, pois ela, mãe taurina, tem aquele jeito agitado e quer sempre tudo para ontem, e às vezes em sua incomensurável agitação esquece que cada um tem seu ritmo. Foi com ela com quem aprendi que eu também tenho meu ritmo, geralmente mais lento do que o dela.

Hoje assisti a um dos comerciais da Marisa sobre o dia das mães. De todos os que assisti, este sem dúvidas foi o mais bacana. No bate-papo entre Carolina Dieckmann, Taís Araújo e Giovanna Antoneli, Taís fala uma coisa que concordei plenamente. Dia das mães é todos os dias sim, mas o bacana de se parar para comemorar um dia é a quebra de rotina que isso traz. A festa, a alegria, proporcionar momentos especiais à nossa mãe é importante sim.

Sem aqueles sentimentalismos que vimos nos demais comerciais, os comerciais da Marisa me pareceram muito mais sinceros e bacanas que qualquer outro. Acho importante sim comemorar o dia das mães, só que deveríamos comemorar e fazer nossa mãe se sentir especial mais vezes ao ano. Sem hipocrisias e consumismos, apenas gestos vindos do coração, de um filho que sabe o quanto sua mãe se dedicou para que ele crescesse bem, feliz, e saudável. Um filho que sabe que sua mãe chorou junto com ele quando ele sofreu, que riu e festejou com ele suas pequenas e grandes vitórias.

E não importa o que aconteça, ela vai estar sempre ao seu lado te apoiando, incentivando ou até mesmo te  cobrando, para que você seja cada vez mais feliz e realizado. E no fundo no fundo, você nunca vai deixar de ser aquele bebê que coube em seu colo um dia, aquele bebê quem ela jurou proteger e por sua felicidade daria até a própria vida.

Infelizmente não encontrei o vídeo deste comercial no You Tube, encontrei apenas o que a Dieckmann conta sobre o incêndio. Quando encontrar este do qual estou falando, dou um update no post e coloco ele aqui. Por enquanto assistam o do incêndio:

Um feliz dia das mães para todas essas guerreiras lindas extremamente fortes, que são ao mesmo tempo símbolo do amor mais puro e mais bonito que existe.
E um beijo especial para a minha mãe, é claro 😉

2 Comments

  1. Olá Cyn, que lindo seu post!
    Isso porque você disse que estava sem inspiração. Imagine se estivesse inspirada!!!

    É um texto recheado de emoção e bons sentimentos.
    Parabéns!
    Beijinhos

    1. Olá Cybele! Fico muito feliz que tenha gostado!
      Conforme fui escrevendo acabei deixando os sentimentos fluirem. 🙂
      Fico muito feliz que tenha gostado mesmo!
      Beijos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>