Taís Araújo e os cachos de Helena

Terminando Caminho das Índias, a novela que entra em seu lugar será Viver a Vida de Manoel Carlos. Manoel segue aquela sua tradição de criar protagonistas chamadas Helena e a Helena da vez é a lindíssima Taís Araújo.

Das imagens que tenho visto e acompanhado, o que mais notei e gostei foram os cabelos de Taís, que desta vez nao os traz alisados e sim super cacheados, poderosos, assumidíssimos e, vamos combinar, lindos!

Vibro cada vez que vejo, pois sou uma total adepta aos cachinhos, que me são naturais e confesso que são difíceis de domar. Não gosto de alisar meus cabelos, parece que mudo demais, perco a identidade, e da muito mais trabalho alisar sempre do que cuida dos cachos, sinceramente.

Gosto de assumir o que sou e me incomoda bastante essa coisa da brasileira ser escrava da chapinha – pois estamos todas “cabeludas” de saber que a maioria das brasileiras tem cabelos cacheados, mas alisam.

tais_araujo2tais_araujo3tais_araujo4

O que Taís mostra nas imagens que vi até agora é que cachos podem ser também super elegantes e versáteis. Se bem tratados são lindos, e basicamente para estarem bem tratados basta hidratar!

tais_araujo5tais_araujo6

Hidratação é o mantra das cacheadas assumidas, não tem jeito. Hidratação e manutenção do corte faz com que os cabelos estejam sempre macios e com brilho. Sera que, seguindo o exemplo de Taís, a mulherada vai finalmente liberar os cachos? Os meus são assumidos há pelo menos 18 anos e sempre recebi muitos elogios.
Liberte-se!

Fotos: divulgação

Ray-Ban Aviator, uma paixão

My Ray-Bans

Meu pai foi um daqueles militares super disciplinados, o que fez com que eu tivesse uma educação bastante rígida, graças a Deus. Digo isto, pois graças à educação que recebi, fui (e sou) capaz de enfrentar as mais difíceis situações da vida e acredito saber me portar nas mais diversas delas.

Mas uma das coisas que eu admirava em meu pai todo fardado era um acessório que ele sempre usava mesmo à paisana: os seus Ray-Ban Aviator. Admirava tanto que um dia ele me deixou prova-los e eu me apaixonei perdidamente por aquele par de óculos escuros.

Anos mais tarde, já adulta, meu pai me deu um do seus antigos ray-ban ao comprar um novo para si e a partir dai passei a ir a todos os lugares com eles. Alias, achava o máximo dirigir usando aqueles óculos. Sabe dessas pequenas heranças que recebemos, que para os outros podem não valer nada mas que para nos vale mais do que todo o dinheiro do mundo? Pois é.

Papai era um desses caras extremamente cultos, sabia tudo sobre historia e geopolítica e era um prazer pra mim ficar horas a fio conversando sobre esses assuntos. Seus assuntos preferidos eram guerras e aviação e não faltavam filmes sobre estes assuntos em nossa casa. E o que o Ray-Ban Aviator tem a ver com isso? Absolutamente tudo, vejam:

O modelo foi criado na década de 20, quando a indústria de aviação crescia rapidamente e os países ricos investiam maciçamente no desenvolvimento de aviões para fins militares. As aeronaves eram cada vez mais modernas para a época, mas os pilotos sofriam com a intensa claridade acima das nuvens, que ofuscava os seus olhos e se tornava um problema grave no momento da pilotagem.

Devido a este fato que a Força Aérea dos Estados Unidos pediu para a Bausch & Lomb (primeira empresa óptica americana fundada em 1849 por J.J. Bausch e H. Lomb) produzir uma proteção ocular para os seus pilotos de caça, que enfrentavam sérios problemas de visibilidade em virtude dos raios UV.

Depois de dez anos de pesquisas, inspirados nas primeiras máscaras criadas para pilotos de avião no início do século passado, são lançados os óculos Anti-Glare Aviator com lentes verdes de cristal especial, que refletiam e bloqueavam um alto porcentual da luz visível e também os raios ultra-violeta e infra vermelho. Eles passaram a fazer parte dos acessórios militares. Somente em 1937 a novidade ganhou o nome de RAY-BAN e começou a ser comercializada em sua versão civil, batizada de Ray-Ban Aviator, com lentes verde-escuras e armação dourada. Os óculos foram batizados com esse nome pois reduziam a incidência de raios UV nos olhos, ou seja, baniam os raios (em inglês Ray-Banner)*

Nem preciso dizer que, ao saber destes detalhes, o óculos teve mais valor sentimental ainda para mim, devido às coisas que cresci vendo, ouvindo e aprendendo. Recentemente fiquei sem meus óculos, que quebraram de forma que não dava mais para usar. Então os guardei e deixei conservadinho, e passei um bom tempo sem usar qualquer outro. Recentemente adquiri um novo, lindo. O modelo clássico de armação dourada e lentes verdes, um deleite para os olhos.

*Fonte: Mundo das Marcas traz um post super interessante e completo sobre os óculos de sol que são uma paixão para mim.

Cabelos de inverno

862261varga-girls-posters
O inverno é a época ideal para sair da mesmice e ousar quando o assunto são os cabelos. Se já tem algum tempo que você está entediada com o visual loiro ou preto, que vê no espelho, opte pelo meio termo que tem a cara da estação. “Tons de marrom e vermelho são ideais para inverno e combinam bem com a produção mais composta e elegante que o frio exige, por menor e mais brasileiro que ele possa ser”, explica Vitor Avanti, hairsylist e visagista.

Mesmo sem o calor do sol de verão, alguns cuidados que devem acompanhar a transformação. Confira as dicas do Vitor:

1 – Hidratação antes e principalmente depois do ritual de coloração;

2 – Não seja imediatista, se concentrar em apagar o incêndio pode não funcionar, portanto, faça nutrições e tratamentos a cada 15 dias;

3 – Procure um colorista confiável para evitar surpresas ruins. Erros na tonalidade do resultado são comuns, sobretudo para quem já tem cabelos tingidos ou descoloridos;

4 – Enquanto estiver em lugares ensolarados, use também um protetor solar para os cabelos;

5 – Nesse período (enquanto manter os fios coloridos), opte por shampoos e condicionadores próprios para cabelos coloridos, para preservar a cor e evitar o ressecamento.

Vitor Avanti atende no Lounge Hair Style – Shopping Downtown Bloco 17/Loja 136 – Tel: (21) 2494-6944 – Rio de Janeiro.

Sobre o Orgulho

Tenho notado cada vez mais o quão as pessoas são orgulhosas. Mesmo quando estão terrivelmente erradas, por simples e puro orgulho, tentam das maneiras mais absurdas inverter a situação a seu favor e se fazem de vitimas.

Somente para ilustrar sobre o que estou falando, no capitulo de ontem da novela Caminho das Índias, a personagem Dona Norminha é flagrada pelo marido em um ato de traição, inventa as desculpas mais absurdas para justificar o ato e por fim despreza o marido dizendo “Sou eu quem não quero mais” se colocando de vitima e empinando o nariz, acreditando ser melhor que o marido.

Será que não seria mais digno da parte dela aceitar as consequencias de seus atos, colocar o rabinho entre as pernas, pegar sua trouxinha e ir embora em falar nada? Está certo que cada um de nós é importante, devemos nos valorizar sim, mas isso não dá o direito a ninguém de fazer o que bem entende.”O seu direito termina quando começa o do outro.” Não é assim? Ninguém tem o direito de fazer outra pessoa sofrer, e se o faz, deveria ter dignidade o suficiente para assumir seus atos. Se o orgulho te impede de pedir desculpas, pelo menos não humilhe ainda mais quem feriu, não é?

O triste disto é que apesar do meu exemplo ser ficção, vejo este tipo de coisa acontecer na vida. Gente traindo de todas as maneiras, arrumando desculpas cretinas para romper “amizades” que claramente não eram mais de interesse para ela, gente magoando os outros por puro egoismo e ainda por cima se sentindo injustiçadas se o outro acha ruim o comportamento que lhe é deferido.

Mas enfim, acredito que estamos aqui para evoluir, e o orgulho é somente um sentimento pueril que nos leva a mais variada gama de erros com os quais devemos aprender e quem sabe crescer com eles, sendo vitimas do orgulho alheio ou mesmo vitimas de nosso próprio, inútil e infantil sentimento de superioridade.

Resenha: Look Índia O Boticário

Não é de hoje que O Boticário lançou um kit super gracinha inspirado nos looks indianos de Caminho das Índias. E há tempos eu “namorava” aquela caixinha super charmosa com seus motivos indianos na tampa. No último domingo, ganhei uma dessas de minha mãe, que sabe o quanto sou louca por maquiagem. Testei imediatamente e gostei bastante dos produtinhos.

look_india

O kit contém:

  1. 01 máscara para cílios extra volume preta, à prova d’água;
  2. 01 lápis tipo kajal preto para esfumaçar os olhos;
  3. 01 gloss Star lip na cor Star Pink.

Além dos 3 itens e da caixinha super charmosa, ele vem com um pequeno manual de instruções de como montar rapidamente um look ao estilo indiano. Obviamente, os 3 itens podem ser comprados separadamente, porém no kit acabam saindo mais baratos.

A máscara para cílios eu já havia usado antes e sempre gostei dela. Boa cobertura, dá realmente mais volume aos cílios e só sai com um bom demaquilante. Otimo para usar em casamentos por exemplo, principalmente para choronas como eu (risos).

O kajal do Boticário eu ainda não conhecia (costumo usar o ótimo da Natura) e me surpreendi com a maciez do mesmo. Além de macio, tem ótima cobertura, passando-o somente uma vez ele faz um traço perfeito.

O gloss, apesar da cor pink forte na embalagem, nos lábios é quase transparente, dando aquele efeito molhado que agente adora e com um cheirinho super gostoso.

look_india01
Pronta para arrastar meu sari pelo mercado 😉