Sobre a inveja

“A inveja é uma admiração que se dissimula. O admirador que sente a impossibilidade de ser feliz cedendo à sua admiração, toma o partido de invejar. Usa então duma linguagem diferente, segundo a qual o que no fundo admira deixa de ter importância, não é mais do que patetice insípida, extravagância. A admiração é um abandono de nós próprios penetrado de felicidade, a inveja, uma reivindicação infeliz do eu.” (Soren Kierkegaard, in “O Desespero Humano”)

“Inveja é o ódio da felicidade alheia, ou dor que se sente no coração por causa do sucesso alheio.” (Albertano da Brescia)

“A inveja é bastante justa, pois rói o invejoso.” (Schottus)

“A inveja é a amargura que se sofre por causa da felicidade alheia.” (Cícero)

“Não odeies o teu inimigo, porque, se o fazes, és de algum modo o seu escravo. O teu ódio nunca será melhor do que a tua paz.”
( Jorge Luis Borges )

 

 

One Comment

  1. Muito Bom seu post!

    Há quem diga que inveja é sinônimo de amor excessivo e tals..enfim…tem várias definições mas verdadeiramente sabemos no contexto geral é que o invejoso apenas tem inveja porque tem a ciência de não ser compentente ou capaz ou inseguro de conseguir tais coisas, tais sucessos por seus próprios méritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>