Hoje é dia das bruxas, bebê

Todo mundo sabe que hoje é Halloween, ou dia das Bruxas. Tem altas festinhas sobre o tema rolando por aí, e vamos combinar que é super divertido essa coisa de escolher fantasias pra se jogar na pista de dança. Não que alguém se interesse por isso, mas só por curiosidade, vamos ver o que vem a ser esse tal de Halloween.

Dizem que a festa tem sua origem ainda em tempos pagãos, cerca de 2500 anos atrás, quando os povos celtas comemoravam o Samhain que seria quando estes povos celebravam a passagem do ano deles e, ao mesmo tempo, o início do inverno. “O Samhaim era a época em que acreditava-se que as almas dos mortos retornavam a suas casas para visitar os familiares, para buscar alimento e se aquecerem no fogo da lareira (…) A fronteira entre o Outro Mundo e o mundo real desaparecia.” Quer dizer, sem querer falar mal, ou escarnecer as crenças de ninguém, existia todo um misticismo, todo um culto à natureza, aos mortos, ao mundo místico.

“ Para os celtas, o lugar dos mortos era um lugar de felicidade perfeita, onde não haveria fome nem dor. A festa era celebrava com ritos presididos pelos sacerdotes druidas, que atuavam como “médiuns” entre as pessoas e os seus antepassados. Dizia-se também que os espíritos dos mortos voltavam nessa data para visitar seus antigos lares e guiar os seus familiares rumo ao outro mundo.”

Outra coisa interessante é que alguns historiadores afirmam que a Igreja Católica, para atrair mais fiéis, foi se adaptando ao calendário pagão. Eles pegavam essas datas acomemorativas pagãs e transformavam em algo “correspondente” no calendário cristão.  “ A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o Papa Gregório III mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e “All Hallow Een” até chegar à palavra atual “Halloween“.”

Enfim, confusões religiosas à parte, atualmente, Halloween não passa de uma grande festa, onde a única alusão aos mortos se encontra nas fantasias de quem gosta de comemorar a data. E nas decorações das festas e lojas (aliás, tudo é motivo pra vender e comprar, não é?).  Então, faça o melhor que puder desta celebração. Divirta-se, mas se beber não dirija e vice-versa 😉

Happy Halloween!! 😉

Já escolheu sua fantasia?

 

Design – Câmera fotograva em 360°


O engenheiro de computação Jonas Pfeil, formado pela Technical University of Berlin, é o inventor da Panoramic Ball Camera, uma bola muito louca que em seu interior possui 36 câmeras fotográficas (tipo as de celular) que em conjunto são capazes de fazer fotografias em 360°.

Pelo o que eu entendi funciona mais ou menos assim: a tal da bolinha ver possui, além das 36 câmeras de celular,  um sistema que calcula a sua velocidade quando é lançada pro alto, e quando a bolinha chega na altura máxima do seu “vôo” – no momento em que atinge a menor velocidade, exatamente antes de começar a cair, as 36 câmeras disparam e tiram ao mesmo tempo fotos. Tradução: não tem botãozinho pra apertar, você joga ela pro alto, e ela faz todo o serviço.

Dá uma olhadinha no vídeo explicativo da tal da Throwable Panoramic Ball Camera ( Câmera Bola Jogável e Panorâmica , ou algo assim):

Parece que o inventor está procurando investidores para o seu projeto. Quem aí vai querer uma Câmera bola?

Tudo Rosa no mês de Outubro

Olá meninas, hoje vamos falar de um assunto deveras importante: Saúde.  Vocês já devem ter ouvido falar do Outubro Rosa e devem ter visto algumas imagens por aí dos monumentos de cidades iluminados em cor de Rosa (incluindo nosso Cristo Redentor). Bem, toda essa coisa pink espalhada pelo mundo faz parte de uma campanha de extrema importância para a saúde feminina. O Outubro Rosa é o mês de conscientização da população sobre a  importância do diagnóstico precoce do Câncer de Mama. Este movimento surgiu em 1997 nos EUA e está cada vez maior, com mais e mais cidades aderindo. Este ano, por exemplo foi a vez de Brasília aderir à iluminação cor de rosa no Congresso Nacional.

Mas a iluminação rosa não serve de nada se você não se cuidar. Não adianta sair por aí vestida de rosa achando que está fazendo algo importante. Importante mesmo é estar com seus exames em dia. Aproveite o clima da campanha e corre lá pra fazer seus exames. 😉

Moda dos anos 70 – Paz, amor e psicodelia.

Nos anos 70 aconteceram coisas incríveis. Boas e más, mas importantes, que ficaram na história da humanidade. Movimentos culturais impressionantes, a antimoda que, inevitavelmente acabou virando moda. Os anos 70 foram tão, ou mais, coloridos que os anos 60, tão agitados quanto e repletos de idealismos. Enquanto a década de 60 ficou na memória como a grande época da revolução jovem, os anos 70 ficaram meio indefinidos.

Yoko Ono e John Lennon - Paz e Amor

Os jovens da década de 60 se tornavam os jovens adultos dos anos 70, e o que se pregava era paz e amor. “Faça amor, não faça guerra”. O amor livre, a libertação sexual, experimentação das drogas, reclamação do direito das mulheres, tudo isso chega às massas. Homossexuais – antes temerosos das perseguições – começam a exprimir suas diferenças e revindicar seus direitos perante a sociedade. É uma revolução social crescente e de extrema importância histórica. Movimentos políticos diversos, as “minorias” oprimidas anseiam por seus direitos e realização pessoal.

Faça amor, não faça guerra

As anteriores formas de vida – família bem estruturada e certinha, a rigidez social – tudo começa a ser questionado e considerado falso. A busca por novas maneiras de se viver gera uma insegurança geral.

No início da década de 70 chega ao fim a polêmica guerra do Vietnã – evento muito festejado por aqueles que pregavam a paz e o amor – e chegava a crise do petróleo provocando a queda do dólar. Existia um certo clima de decadência.

A moda acompanha o ritmo frenético dos acontecimentos. Os hippies, mesmo sem querer, ditam moda. Eles que apenas pregavam a paz, o amor, a celebração da natureza, não seguiam moda, se vestiam de maneira livre, se adornando com maquiagem colorida, estampas floridas, sandálias, homens deixavam seus cabelos crescerem, as roupas eram basicamente de materiais naturais como a lã e o algodão.

A classe média gostou do que viu e tratou de copiar. Regras da moda caíram por terra, a liberdade de vestir, de ser e de pensar era a lei. Cada um se vestia do jeito que mais gostava. O jeans toma conta das ruas e a partir daí não existia uma só pessoa que não os usava. Os jeans eram peças universais, unisex. Ídolos como Janis Joplin ou Jimmi Hendrix agregavam ao guarda-roupa peças nostálgicas dos anos 20 e 30, como os chapéus desabados, veludos, cetins e estolas de pluma, que viravam manias entre os fãs.

Janis Joplin e Jimi Hendrix

Peças feitas a mão eram as preferidas e tinturas especiais como o “tie-dye” e os trabalhos de “patchwork” eram praticamente marca registrada do estilo hippie. Túnicas (batas), micros e maxi saias, calças boca de sino, plataformas e o jeans de preferência surrado e cheio de enfeites.

Boca de Sino

Os cabelos eram ondulados ou cacheados, o black-power ganha espaço e a soul music marca e propaga o movimento de emancipação negra nos Estados Unidos.

O Rock n’ Roll mais pesado, a apologia às drogas (sex, drugs, and Rock n’ Roll), o movimento punk. Tudo isso foi tomando espaço na segunda metade da década de 70, combinando com o clima de protesto constante. A ideia era chocar, subverter. Desordem, protestos e multiculturalismo. Década da contracultura, do underground, dos jornais, revistas, livros e discos independentes. Também chamada de “a década do eu” em que as pessoas se sentiam perdidas, vazias, tentando encontrar melhores maneiras de se viver depois da decepção na tentativa de mudar o mundo. O idealismo perde a força, e os protestos se tornam um grito de socorro. Muitos passaram a década se drogando, numa tentativa de escapar do grande descontentamento que o período inspirava, preencher o vazio interior.

“Junto com a modernidade da época, sobreviveram em pleno auge super bandas de hard rock como Led Zeppelin e Black Sabbath. O rock pesado vivia seu grande momento e por um lado a androginia o influenciava em sua forma de comportamento, vide Mick Jagger, que vivia soltando a franga… Outras grandes figuras que escandalizaram a década de 70 foram Rod Stewart (quem diria, hoje ele é quase um careta!), e o ícone David Bowie, em seus áureos tempos femininos.

A androginia faria nascer aqui no Brasil o mais famoso e efêmero grupo muscial do país: os Secos & Molhados. Mesmo desfeito em 1974 (só um ano após sua formação), permitiu à sua estrela Ney Matogrosso continuar mexendo com os corpos e principalmente com as cabeças de todos e todas.

O rock progressivo também viveu seu grande momento com Emerson Lake & Palmer, Yes e Pink Floyd. Foi nessa safra que surgiu o Queen, um dos primeiros grandes exemplos do rock de arena, ao lado do Fleetwood Mac, veteranos dos anos 60 ainda vivendo seu auge. Mais ou menos nessa mesma época começa a aparecer nas paradas mundiais o supra-sumo da papa açucarada doa anos 70, o grupo ABBA, uma das mais bem-sucedidas invenções da década.”  – Portal São Francisco

Infelizmente é impossível falar dos anos 70 em um só artigo. Este post é somente uma introdução, pois há ainda muito o que falar, de tão conturbado que foi o período. Falta falar dos grandes festivais de música (como o Woodstock), aprofundamento no movimento hippie, punk, rock progressivo, e muito mais. Aguardem!

 


Clipe com a música Age Of Aquarius (Era de Aquário) do filme Hair (1979), legendado em português. O filme mostra bem a moda e o comportamento da década de 70.

Fontes: Baudot, Fran̤ois РModa do S̩culo.
Seeling, Charlotte РModa, O s̩culo dos Estilistas.

Especial de moda Supernatural no blog Homem Sem Frescura

Como este é um blog democrático, essa vai para os garotos:

Especial Supernatural: como se vestir como os caras da série e ficar bonitão e charmoso sem gastar muito


 

Aproveitando que Dean e Sam estão de volta na nova temporada de Supernatural, e que a mulherada acha os caras bonitões e charmosos, lá no site Homem sem Frescura, onde sou responsável pela coluna Moda de Homem, escrevi um artigo com dicas de como montar um look parecido com dos caras sem gastar muito.

Vai lá dar uma conferida, e aproveite para conhecer o site que tem muitas colunas divertidas e interessantes pros machos de plantão.

Para acessar o artigo, clique aqui.