História da Arte – Egito Antigo Parte 2

Vamos retomando aqui a série de História da Arte, dando continuação à arte do Egito antigo que é fascinante (para ver a primeira pate clique aqui). Hoje falaremos mais especificamente sobre as esculturas egípcias e um pouquinho das cores utilizadas por eles.

O material utilizado na concepção das esculturas era principalmente a pedra. Poderiam ser granitos, diorites, xistos, basaltos, calcários e alabastros. As esculturas eram principalmente de caráter religioso ou representativas do faraó, que no fim das contas não deixava de ter cunho religioso, visto que o faraó era considerado uma encarnação do deus.

As esculturas eram feitas da seguinte maneira: faziam-se relevos nas superfícies das pedras, ou faziam-se monolitos. Os monolitos continham figuras ou inscrições e eram frequentemente colocados nos interiores dos túmulos.

Os relevos escavados nas pedras eram muito utilizados nas superfícies externas das construções, com o intuito que os raios de sol quando incidissem sobre elas, dessem mais dramaticidade às figuras. As esculturas eram em sua maioria policromadas, coloridas, mas as que ficaram expostas ao tempo perderam seu colorido original. Aquelas que se encontravam dentro dos túmulos se preservaram um pouco melhor.

As esculturas não tinham tanta fluidez nos movimentos como as gregas já apresentavam. Eram bem mais rígidas, porém com proporção bem apurada.

estatua_de_Khaf-re_e_a_triade_de_Miquerinos_museu_do_cairo

Agora um pouquinho sobre as cores. As cores não tinham função apenas decorativa. Como praticamente tudo na arte egípcia, cada uma era dotada de significado. Abaixo uma relação que encontrei no wikipédia, das cores mais usadas e seus significados:

  • Preto : era obtido a partir do carvão de madeira ou de pirolusite (óxido de manganésio do deserto do Sinai). Estava associado à noite e à morte, mas também poderia representar a fertilidade e a regeneração. Este último aspecto encontra-se relacionado com as inundações anuais do Nilo, que trazia uma terra que fertilizava o solo. Na arte o preto era utilizado nas sobrancelhas, perucas, olhos e bocas. O deus Osíris era muitas vezes representado com a pele negra, assim como a rainha deificada Ahmés-Nefertari.
  • Branco : obtido a partir da cal ou do gesso, era a cor da pureza e da verdade. Como tal era utilizado artisticamente nas vestes dos sacerdotes e nos objetos rituais. As casas, as flores e os templos eram também pintados a branco.
  • Vermelho: obtido a partir de ocres. O seu significado era ambivalente: por um lado representava a energia, o poder e a sexualidade, por outro lado estava associado ao maléfico deus Set, cujos olhos e cabelo eram pintados a vermelho, bem como ao deserto, local que os Egípcios evitavam. Era a vermelho que se pintava a pele dos homens.
  • Amarelo: para criarem o amarelo, os Egípcios recorriam ao óxido de ferro hidratado (limonite). Dado que o sol e o ouro eram amarelos, os Egípcios associaram esta cor à eternidade. As estátuas dos deuses eram feitas a ouro, assim como os objetos funerários do faraó, como as máscaras.
  • Verde : era produzido a partir da malaquite do Sinai. Simboliza a regeneração e a vida; a pele do deus Osíris poderia ser também pintada a verde.
  • Azul : obtido a partir da azurite (carbonato de cobre) ou recorrendo-se ao óxido de cobalto. Estava associado ao rio Nilo e ao céu.

Na máscara de mortuária de Tutancâmon o ouro é bastante utilizado (praticamente toda a máscara é dourada), representando a imortalidade do faraó, a sua eternidade, que para os egípcios era como um deus. Nela também estão presentes as demais cores, com maior predominância (depois do dourado) o azul que representa o Nilo, um dos principais símbolos do Egito. A máscara é de incrível beleza, e o costume era moldar as máscaras mortuárias de acordo com o rosto do faraó. Com ajuda de computadores, uma reconstrução facial do faraó Tutancâmon foi feita e hoje um modelo em fibra de vidro está exposto no Museu de Ciência de Londres.

mascara_mortuaria_de_tutankamon

Outra famosa representação em escultura é a muito gata rainha do Egito Nefertiti. Pelo busto esculpido à sua semelhança podemos ver o quão ela era bonita. Inclusive, seu nome significava algo como “a bela chegou”. Ou seja, era gata.  O busto de Nefertiti é feito de calcário com cerca de 3.400 anos de idade. Uma curiosidade é que os egípcios tinham o costume de raspar todos os pelos do corpo, pois acreditavam ser algo de impuro. Eles se sentiam mais limpos raspando tudo. Então era comum usarem perucas para se protegerem do frio ou do sol. Assim, a peruca era um acessório de beleza, e muitas vezes, adornavam as perucas com contas e tranças para dar aquela estilizada. O busto de Nefertiti, porém, mostra a rainha de cabelo raspado, usando apenas a sua coroa, digamos assim.

busto_de_nefertiti

No próximo post da série falarei sobre as esfinges, as famosas esculturas que eram frequentemente usadas nas entradas dos templos egípcios, nos principais caminhos de acesso ao monumento. Decifra-me ou te devoro! Ui! Até lá. 😉

Música – 40 anos de Dark Side of the Moon

40-anos-dark-side-of-the-moon
Dark Side of the Moon, um dos mais importantes álbuns de rock do mundo de todos os tempos, completou 40 anos de seu lançamento no último domingo, dia 24 de março. O oitavo álbum de estúdio da banda britânica de rock progressivo Pink Floyd foi lançado em 24 de março de 1973.

O oitavo álbum de estúdio da banda britânica de rock progressivo Pink Floyd foi lançado em 24 de março de 1973.

Ele marcou uma nova fase no som da banda, com letras mais pessoais e contendo alguns dos mais complicados usos dos instrumentos e efeitos sonoros existentes na época, incluindo o som de alguém correndo à volta de um microfone e a gravação de múltiplos relógios a tocar ao mesmo tempo.

Dark side of the Moon foi um grande sucesso na época, e continua sendo aclamado pela crítica e fãs. Foram vendidas mais de 15 milhões de cópias somente nos EUA, e até hoje já foram comercializadas cerca de 50 milhões de cópias mundialmente.

Não é à toa que é considerado um dos mais importantes álbuns de rock de todos os tempos, não é?

Para mim, Dark Side of the Moon tem um significado ainda mais especial. Meu querido pai era grande fã de rock progressivo, então passei praticamente minha infância (adolescência e parte da vida adulta tabém) toda ouvindo Pink Floyd e mais um monte de bandas incríveis de rock progressivo. Não é a toa que rock está nas minhas veias desde que me entendo por gente. E meu pai sempre curtiu demais este álbum que ouviu diversas vezes no volume máximo de seu poderoso sistema de som. A ponto dos vizinhos reclamarem, mandarem cartinha anônima, ou irem bater na minha casa pedindo que ele mandasse o meu irmão baixar o som quando na verdade era ele, aquele militar tão distinto, ouvindo essas “maluquices”. Até hoje alguns vizinhos ainda acham que o culpado das bagunças é meu irmão.

Uma das lembranças mais divertidas que tenho do meu pai, envolve a faixa Time de Dark Side of the Moon. Um dia estava ele ouvindo o som dele no último volume (pra variar) e morávamos em um prédio funcional no primeiro andar. Quando Time começou com aquele monte de relógios tocando ao mesmo tempo, pude ouvir vizinhos desesperados gritando: “Epa! Que é isso! Tão quebrando tudo!! Que horror!!!”. Meu pai só ria. 🙂 Eu e minha mãe já rimos um bocado relembrando essas histórias. Como disse minha mãe, meu pai era um “número”. Saudades, pai. Te amamos!

Mas voltando ao icônico álbum. A capa é simples, mas ao mesmo tempo marcante, e linda. Um prisma. Um simples prisma, lindo, em um fundo preto, e a profusão de cores. Você com certeza já viu um milhão de reproduções e homenagens a esta capa e ela, apesar de simples, é cheia de significados bacanas.

40-anos-dark-side-of-the-moon-cover

Ao entrar no site da banda, somos redirecionados para o hotsite comemorativo do álbum. Lá tem um poster belíssimo que pode ser baixado gratuitamente em três tamanhos diferentes.

40-anos-dark-side-of-the-moon-2

Ouça Dark Side of the Moon. É necessário, absoluto, e não é só porquê todo mundo tá dizendo. Você vai curtir. Rock n’ Roll!

Moda para meninas nerds!

Todo mundo já deve estar careca de saber que ser nerd não é mais privilégio de alguns poucos. Nerds já não são pessoas excluídas, marginalizadas, esquisitonas… tá, alguns ainda sim, mas o fato é que o mundo geek está na moda. Hoje em dia quase todo mundo quer ser nerd. Mas os verdadeiros nerds que lêem gibis / hqs/ quadrinhos de super-heróis desde criancinha, estes são mais raros.

Mas, sem querer entrar no mérito de quem é nerd de verdade e de quem é fake, vamos mesmo é falar de moda geek, ou moda nerd, como queiram.

Acredito que, em grande parte, graças à maravilhosa série The Big Bang Theory, hoje os objetos, roupas e acessórios que remetem ao universo nerd estão mais populares do que nunca. E nós, meninas nerds, também gostamos de ficar bonitas e sexies, sem ter que abrir mão da nerdice nossa de cada dia. Então esse post é dedicado principalmente para nós. êeeee!

Uma marca Australiana chamada BlackMilk anda criando estampas muito bacanas de todos os tipos de nerdices. Olhem só estes maiôs com estampas de Star Wars, Senhor dos Anéis e Game Boy. Tem muitos outos além desses. Aliás, eu não só usaria como maiô, como poderia usar no dia-a-dia, com uma saia jeans, jaquetinha e botinhas iguais às essas que as meninas estão usando nas fotos abaixo.

moda-nerd-01

Mas eles não fazem só maiôs, como vestidos leggings e outras coisas que daria pra incorporar alegremente no guarda roupa de cada dia das meninas nerds. E dá pra ficar sexy sem deixar as nerdices de lado. 😉

moda-nerd-02

Outro site bem legal que descobri, é o Think Geek, Lá tem de tudo, camisetinhas, calcinhas, casaquinhos, moletons, todos temáticos como super heróis, Star Wars, Star Treck, incluindo um irreverente moleton da princesa Leia, que tem um capuz com o famoso penteado dela. E tem do Spock com sua orelhinha pontuda também. 🙂

moda-nerd-03

 

 

Confesso que adoraria ter uma camiseta dessas do uniforme da Vampira. Adoro a personagem!  E uma da Mulher-Maravilha também.

Camisetinha da Vampira! Quem quer ser o meu Gambit? ;)
Camisetinha da Vampira! Quem quer ser o meu Gambit? 😉

 

Estes sites que falo acima são internacionais, mas já tem alguns aqui pelo Brasil que já começam a vender coisinhas assim também. A Loja Mundo Geek que descobri navegando no Omelete, já tem começa a ter coisas bem legais para meninas também.

Não usei os serviços de nenhum desses que falei aqui para poder dizer com certeza a vocês se chega direitinho e etc.  Eu pretendo arriscar em um futuro próximo, mas quem já se aventurou pode deixar sua experiência nos comentários, que serão muito bem vindos.

moda-nerd-05

Espero que tenham curtido! Até a próxima 😉

 

Mitologia РAs F̼rias

Hoje vamos falar de um trio bastante macabro na mitologia grega, as Fúrias. Na verdade eram os romanos que as chamavam de Fúrias, para os gregos o trio era chamado de Erínias. As três fofas (só que não) moravam no tártaro, também chamado de reino de Hades, e tinham o sinistro trabalho de atormentar, torturar mesmo, as almas daqueles que eram julgados por Hades e Perséfone. Eram como a personificação da vingança, e quando um homem cometia um crime, iam atrás dele para infernizá-lo até que enlouquecesse. Quando se tratava de um assassino, só sossegavam quando o criminoso morresse. Provavelmente porque aí iam poder torturá-lo um pouquinho mais quando fosse julgado por Hades quando fosse para o mundo dos mortos. Como as Moiras, cada uma tinha um nome. Elas eram:

  • Alecto - Encarrega-se de castigar os delitos morais como a ira, a cólera, a soberba, etc. É a que espalha pestes e maldições. Seguia o criminoso sem parar, ameaçando-o com fachos acesos, não o deixando dormir em paz.
  • Megaira o rancor, a inveja, a cobiça e o ciúme. Castiga principalmente os delitos contra o matrimônio, em especial a infidelidade. Faz a vítima fugir eternamente, grita ininterruptamente nos ouvidos do criminoso, lembrando-lhe dos seus crimes
  • Tisífone – vingadora dos assassinatos (patricídio, fratricídio, homicídio…), é quem açoita os culpados e os enlouquece.

Não são umas queridas? Apesar de alguns artistas como William-Adolphe Bouguereau as representarem até bonitinhas, como se pode ver abaixo, os antigos descreviam-nas como criaturas horrendas, medonhas mesmo. Eram mulheres aladas, com cobras saindo de seus cabelos, expressão de ódio no rosto, e de seus olhos saíam sangue no lugar de lágrimas.Aliás, pelas minhas pesquisas, soube que elas aparecem no jogo God of War (jogo bem bacana que tem como base a mitologia grega), e que lá elas são bem bizarras como manda o figurino.

O Remorso de Orestes, de William-Adolphe Bouguereau
O Remorso de Orestes, de William-Adolphe Bouguereau

Elas nasceram das gotas do sangue de Urano quando ele foi ferido por Cronos ao ser destronado. Outras versões dizem que seriam filhas de Urano e Gaia, ou filhas da deusa da noite, Nyx. Um importante mito conta sobre elas. Se trata do mito de Orestes. Orestes era um príncipe de Tebas que assassinou sua própria mãe, a rainha Clitemnestra.

A história de Orestes é um tantinho complicada e envolve uma galera. Vou tentar simplificar para vocês, mas já vou logo avisando que a coisa toda não é muito bonita, digamos assim. A rainha Clitemnestra era irmã gêmea não-idêntica de Helena (sim, aquela mesma que é pivô da guerra mais famosa do mundo grego, a guerra de Troia). Era irmã dos também gêmeos Castor e Pólux. Esse lado da família também é bastante confuso, então conto sobre eles depois.

Clitemenestra era casada com um cara chamado Tântalo II, o qual foi assassinado por Agamemnon que queria tomá-la como esposa. Forçada a casar-se com ele, a rainha não ficou muito contente com isso não. Nem seus irmãos que declararam guerra a Agamemnon, mas ele acabou conseguindo apaziguar as coisas. O problema era que Agamemnon era um sujeito meio do mal e conseguiu ofender a deusa Ártemis matando um animal que para ela era sagrado e ainda se gabando ser melhor caçador que a deusa da caça.

Ao sofrer com a fúria da deusa que fazia questão de atrapalhar seus planos de guerras e conquistas, o maluco resolve sacrificar sua filha com Clitemenestra, Ifigênia, com o intuito de apaziguar a deusa. Diz-se que Ártemis, piedosa e justa como era, sem que ele notasse trocou a filha por um veado que foi morto em seu lugar, salvou a menina e a levou para junto de si, que pode ter se tornado uma de suas seguidoras.

O sacrifício de Ifigênia de Tiepolo
O sacrifício de Ifigênia de Tiepolo

 

Mas o fato é que Clitemenestra se revoltou com Agamemnon por sacrificar sua própria filha, e como ela já não gostava dele, apenas o tolerava, tudo foi ficando cada vez pior. Acabou por rejeitar os outros dois filhos que teve com ele – Electra e Orestes – e, aproveitando que ele se ausentou em uma viagem de guerra (Guerra de Troia) , o traiu com Egisto, primo de Agamemnon. Quando este retornou, foi assassinado pela rainha e seu amante.

Depois do assassinato (1882), de John Collier  e Electra, segundo Frederic Leighton
Clitemenestra Depois do assassinato (1882), de John Collier e Electra no túmulo de Agamemnon, segundo Frederic Leighton

 

Para proteger o irmão que estava na mira de Egisto que a esta altura governava no lugar de Agamemon e não queria perder seu reinado, Electra o levou para longe, para que pudesse crescer em paz. Depois, Electra voltou para o castelo onde passou a ser escrava da própria mãe.  Quando Orestes cresceu voltou para vingar a morte do pai e libertar a irmã dos maus tratos que recebia, e aí a coisa que já estava feia, ficou pior.

Os irmãos vingam o assassinato do pai matando Egisto e vão para cima da rainha.  Arrependida, Clitemnestra pede desculpa por ter abandonado e rejeitado os filhos, fala que nunca tinha deixado de pensar em Orestes nenhum momento, que tratava Electra como escrava com medo que Egisto fizesse algo à filha, e ainda diz que sempre amou-os. Os filhos não acreditam e a matam também. Foi então que as fúrias começaram a persegui-lo acusando-o pelos seus crimes horrendos, sem levar em consideração os motivos e tudo que aconteceu antes.

Mas depois de muito tempo sendo torturado e perseguido, ele acabou conseguindo se libertar da perseguição implacável das fúrias. Ao refugiar-se no santuário de polo em Delfos, foi a julgamento por seus crimes em Atenas e a própria deusa intercedeu a seu favor. Por ordem de Apolo, Orestes partiu para a Táurida a fim de roubar a estátua de Ártemis e devolvê-la à cidade de Atenas. Acabou sendo preso e condenado a ser sacrificado à deusa Àrtemis, mas sua irmã Ifigênia, então sacerdotisa de Ártemis, o reconheceu e fugiu com ele levando a estátua da deusa. Salvo, herdou o reino de Agamemnon, e casou-se com Hermíone, filha de seu tio Menelau e de Helena. Diz-se que morreu aos noventa anos picado por uma serpente.

É essa confusão toda aí. Depois contarei com mais calma sobre a Guerra de Troia, Electra,  Hermíone, Helena, e todo esse pessoal bagunceiro aí citados no texto de hoje.

Só a título de curiosidade, existe uma personagem do universo DC Comics inspirada nas Fúrias. É Helena Kosmatos, a Fúria (Fury), que aparece na Terra 2 (ou Terra Paralela) da DC Comics, e tem os poderes das Fúrias. Ela é mãe de uma outra heroína também chamada Fúria, a Lyta Trevor, que originalmente seria filha da Mulher Maravilha, mas acabou tendo sua origem reescrita. Esta última não tem os mesmos poderes que a mãe.

Fúria mãe - Helena Kosmatos - Dc Comics
F̼ria ṃe РHelena Kosmatos РDc Comics

 

Fúria filha - Lyta Trevor - Dc Comics
F̼ria filha РLyta Trevor РDc Comics

 

Não são umas graças? =)

Até a próxima!

As cores do Outono

Para dar as boas vindas ao Outono, as cores desta poética estação para nos inspirar. Geralmente os tons são terrosos, verdes escuros, cinzas, cores mais sóbrias, tons mais escuros e alguns toques de cor vibrante. Na natureza, nas passarelas, por todos os lugares. Inspire-se!

image

image

image

image

A volta de David Bowie – The Next Day

David Bowie

Parece que 2013 é o ano dos grandes retornos no mercado fonográfico. Enquanto esperamos ansiosamente pelo álbum do Black Sabbath, podemos ir nos divertindo com o álbum de David Bowie, The Newt Day.

Depois de 10 anos de silêncio absoluto, o músico surpreendeu a todos ao lançar um vídeo do primeiro single, o super, mega, hiper, blaster melancólico “Where are we now?” assim, como quem não quer nada, na internet em janeiro deste ano, e quase que instantaneamente conquistando 1 milhão de views.

Na verdade, o cara nunca disse que se aposentaria. Simplesmente, um belo dia, em 2004, saiu de cena após sofrer um enfarte, e ficou quieto na dele. Até que em novembro de 2010 resolveu que era hora de começar a compor algo novo, totalmente em segredo,  e o resultado é o álbum que foi lançado no último dia 12 de março. E The Next Day já está no top da lista de mais vendidos no Reino Unido.

A super clássica capa do álbum Aladdin Sane de 1973 - o camaleônico Bowie caracterizado de Alladin Sane, um personagem criado por ele, inspirado em Ziggy Stardust, outro personagem dele.
A super clássica capa do álbum Aladdin Sane de 1973 – o camaleônico Bowie caracterizado de Aladdin Sane, um personagem criado por ele, inspirado em Ziggy Stardust, outro personagem dele.

David Bowie é David Bowie, né gente? Não se pode comparar e nem definir. É um artista multifacetado, que tem como base o rock, mas faz o que der na telha e todo mundo ama.

 

[UPDATE] – Confira abaixo mais um video do álbum The Nexte Day. A música é “The Stars (are out tonight)”, e no video David faz o papel de um homem comum que leva uma vida simples com sua esposa interpretada atriz Tilda Swinton. Uma modelo magricela aparece caracterizada como um Bowie jovem, com direito ao olho com pupila dilatada e tudo. A vida deles sofre uma reviravolta bem maluca e meio bizarra, bem ao estilo de David Bowie /Ziggy Stardust / Aladdin Sane. É no mínimo divertido, vai… mas é esquisito. Mas é divertido.

Mitologia – As Moiras

Olá amigos fãs de mitologia!  Hoje vamos falar de um trio bastante poderoso: as Moiras.

As Moiras de Strudwick - A Golden Thread, 1885
As Moiras de Strudwick – A Golden Thread, 1885 – óleo sobre tela

As Moiras eram três irmãs que detinham nas mãos o destino de homens e deuses. E por isso eram tão poderosas. Para os gregos, eram elas que teciam o destino de todos no mundo. Alguns acreditavam que eram mulheres idosas e maltratadas, e outros jovem e belas donzelas, mas sempre com aspecto um tanto sinistro.

O trabalho delas consistia em tecer o fio da vida de cada um. Para isso utilizavam-se de uma roca de fiar especial, também conhecida como Roda da Fortuna. Ao tecer a vida de uma pessoa, por vezes o fio passava na parte de cima da roda, por vezes na parte de baixo. E isso determinava os altos e baixos da vida de cada um, momentos de sorte e momentos de infortúnio. Ou seja, já naquela época, se sabia, que não importa quem você seja, tem momentos que você estará mais feliz do que nunca e momentos que você estará não tão bem assim. Faz parte da vida de todos. 🙂

Desenhos das Moiras e a roca de fiar

Pelos romanos, as Moiras eram conhecidas como Parcas. Elas eram tão poderosas, que nem mesmo Zeus, o senhos dos deuses poderia interferir nas decisões delas. E, vamos combinar, elas deveriam ser muito certinhas e justas, pois outras no lugar dela teriam feito um belo estrago e subjugado todos os deuses tomando o poder do mundo para si, né não? (taí uma boa ideia para game!)

As fofas eram chamadas Cloto, Láquesis e Átropos, e cada uma delas tinha uma função específica. Cloto – que em grego significa fiar – era quem segurava o fuso e tecia o fio da vida, e assim como Ártemis, às vezes atuava como deusa dos partos. Sua irmã Láquesis – que em grego significa sortear – puxava e enrolava o fio tecido, além de sortear e registrar os acontecimentos da vida daquele indivíduo que estavam tecendo. A última, e não menos importante, Átropos – significa afastar – era quem determinava o fim daquela vida. Era ela quem cortava o fio, a temida morte.

As Moiras da Disney
Cloto, Láquesis e Átropos, segundo o desenho da Disney, Hércules, eram bem feinhas e ceguetas.

Semana que vem, vou falar de um outro trio. É um trio ainda mais assustador que o de hoje: as Fúrias.

Até lá! 😉

Teatro – Sexo, Champanhe e Tchau

Olá queridos e queridas! Se querem uma dica de algo divertido e tranquilo pra se fazer hoje, aqui vai uma dica bacana: vá ao teatro!

Sexo, Champanhe e Tchau

Fui assistir ontem e adorei! A peça fala sobre o amor nos dias de hoje. A complicação que é encontrar alguém que queira mais do que sexo, champagne e tchau. Os questionamentos sobre o que é o amor e a confusão que fazemos, sem saber direito o que é amor, o que é paixão, o que é carência, e o que é apenas desejo. A dificuldade de muitas mulheres de separar sexo casual de amor, e a dificuldade dos homens em assmir um sentimento, ou simplesmente falar dele.

Saí da peça com a certeza de que é a peça do “Quem nunca?”. Pois inevitavelmente nos identificamos com diversas das situações ali descritas e debatidas em clima leve e super divertido.

São três personagens: a protagonista Jezebel vivida por Ana Cecília Mamede; a consciência, ou uma especie de grilo falante sexy, vivida pela autora Mônica Montone; e um destaque especial a personagem Durvalina, também interpretada por Mônica, uma figuraça divertidíssima que é a empregada de Jezebel.

Super vale a pena assistir!

Serviço:

SEXO, CHAMPANHE E TCHAU
Local: SESC Casa da Gávea
Data: 11 de janeiro a 24 de fevereiro
( temporada prorrogada de 02 de março a 31 de março )
Horário: sábados, às 21 h. Domingos, às 20 h.
Endereço: Praça Santos Dummont, 116, Gávea
Telefone: (21) 2239-3511
Ingresso: R$ 40 (estudantes e associados pagam meia)

Trooper Ale – A cerveja do Iron Maiden

E a banda do meu coração, Iron Maiden – a qual irei assistir com toda felicidade do mundo no Rock in Rio yeeeeeyyyy – achou bacana ter a sua própria cerveja.

Porque não basta ser a banda mais f*d@ do mundo, ter o seu próprio avião e 8 milhões de curtidas no facebook. Tem que ter a própria cerveja. =D

Hoje, bem no dia do aniversário do Steve Harris, a banda anunciou que está preparando o lançamento de sua cerveja, a Trooper Ale.

Trooper_Ale_Iron_Maiden_Cerveja

Eu não sou fã de cerveja, sou praticamente abstêmia ( praticamente, pois na verdade como pessoa phyna que sou, só curto champagne – pena que só dá pra beber uma vez na vida e outra na morte #fuén), mas como sou super Iron Maiden fag (pode-se dizer isso?), tomaria e ainda falaria “Uau! Que delícia! Amei!”.

Palhaçadas à parte, a birita tem todo um marketing, com direito a site oficial, fan page no facebook, e o lindo do Bruce Dickinson em um videozinho (e várias fotos) mostrando a fabrica onde a mágica engarrafada acontece.

Bruce introduces ‘Trooper’ from Trooper on Vimeo.

Mas o que eu mais curti nessa história toda: o rótulo. Um clássico Eddie do The Trooper. Tem como não amar?

Trooper_Ale_Iron_Maiden_Cerveja_site

Porta-moedas em formato de macaron

Macarons! Quem é que, depois de provar, diz em sã consciência que não adora um bom macaron?

Para quem não conhece ainda, macaron é um doce de origem francesa, que é tipo um casadinho no seu formato. Parecem dois biscoitos gordinhos e aredondados, que são unidos por um creme. Porém a massa é diferente do casadinho, podendo ser mais leve, e o recheio não é necessariamente doce de leite. De diversas cores e sabores (tem de chocolate, morango, pistache, laranja, capuccino, baunilha, etc), eles são um deleite não apenas pro paladar como também para os olhos. São as coisas mais lindas e delicadas.

Source: xtwistedsunshine.tumblr.com via Kate on Pinterest



É algo delicioso, pode acreditar!
Mas tudo isso foi pra falar deste achadinho de design / moda (?). Os porta-moedas (mais fofos) em formato de macaron vendidos no site americano FredFlare.com. Além de serem esta graça que vocês podem ver abaixo, eles têm cheirinho de acordo com o “sabor”. Dá pra carregar um dinheirinho nelas, sem se acabar nas calorias. Hum!

Porta-Moedas em forma de Macaron

Bem que poderia vender por aqui né? No site custa $ 14,00 (dólares), o que nem é tão caro assim, mas certamente os importadores por aqui cobrariam bem mais caro, infelizmente. Mas vamos torcer pra que isso nçao aconteça, ou que alguém também faça deles por aqui, não é?